Páginas

sábado, 7 de maio de 2016

onLy Lyon

AEE! Finalmente baixou o santo do Chico Xavier, a inspiração do Tiririca, a inteligência de Mano Lima e a animação da Rainha do Baixinhos, de modo que, ALELUIA IRMÃOS, resolvi escrever a última postagem do blog.
ALEELUIA, ALEELUIA!
Pelos meus cálculos, paramos nossas aventuras na super agitada cidade de Zaragoza. Então, vamos continuar a narra”sseira”, como diriam alguns amigos nossos..

Dia 09/01/2016: 
Partimos de Zaragoza novamente em direção à melhor cidade do mundo, BARCELONA! Mas dessa vez foi só para devolver o carro, não tomamos sangria nem passeamos pela Rambla, pois nosso ônibus saia às 22h em direção à maravilinda cidade de... Lyon, habitat natural de uma das espécies beduínas Portes.


 Alguns dias antes, a nossa queridíssima Zaza disse que teria comprado as passagens em um ônibus MA-GA-VI-GO-SO, com Wi-Fi, de dois! andares e que teríamos a viagem das nossas vidas. Para encurtar o sofrimento, foram 10 horas de viagem, das quais 8 horas eu passei chorando e socando o banco de pedra extremamente macio, e as outras duas passei xingando a Ana Luiza, que roncava animadamente grudada em seu travesseiro e sua cobertinha.


Depois da tragédia que foi a viagem, chegamos, enfim, finalmente, graçasadeus, amémxexus, na cidade de Lyon!
Antes de especificar nosso passeio, cabe descrever um pouco como funciona Lyon, pelo menos no geral. A cidade é, como quase todas as cidades dazEuropa, dividida por um Rio, ou melhor, dois rios (que se encontram um pouco mais para baixo) o Saône e o Rhône, sendo que a parte oeste do Rio é chamada Fouvière, que é um morro inclinado de deusdocéu e abriga a parte mais antiga da cidade, enquanto que, no outro lado do rio, a Confluence apresenta construções mais recentes e um toque mais de cidade grandje (pelo menos foi essa a impressão que eu e a Dona Andrea tivemos).

Mapinha maroto para todo mundo ficar ligado naixxx paradas de Lyon
Dia 10/01/2016:
Voltando às nossas aventuras, o primeiro dia na cidade Lyonense foi mais tranquilo, buscando reconhecer o perímetro e tentando confiar no senso de direção da Ana Luiza. Conhecemos a residência que a minha irmãzinha está habitando, que é muito fofa (a residência, não a ~irmãzinha~). Sem contar que fomos recepcionadas na residência pelo Toalhafante (ou sei lá o que era para ser isso):


Depois, pegamos o mais antigo metrô de Lyon, o Funicular (ou funiculéé, como diz, com biquinho francês, a Ana), para descer até a parte mais antiga de Lyon e almoçar alguma comida típica “lyonnais”.
Como primeira parada, fomos para a Vieux Lyon, uma rua super txutxuquinha cheia de restaurantes tradicionais de dar água da boca! O prato típico da cidade é o bouchon, um prato de-li-ci-o-so de tripas de porco, ou melhor, deve ser delicioso, porque ninguém se arriscou a comer! Ainda assim, conseguimos comer algumas comidas típicas francesas, como uns saussissons e uns peixes chiquetósos.
Depois da comilança, saímos passear na região, conhecendo a praça Bellecour, com sua estátua do Rei Sol (Louis XIV) e os rios que cortam a cidade.


Comidinha típica de almoço.

LINDASS NÃO?


Meu novo corte de cabelo, lindo não?
Encontramos o Jairo perdido na Vieux Lyon!!
Tendo em vista que nossa noite de sono (lê-se “nossa” = minha e da mãe) foi terrível, levamos a mãe na casa de nosso amigo francês Micael, que hospedou, e muito bem, nossa amada mamãe durante nossa estadia em Lyon, enquanto eu e a Ana voltamos para a Residência para descansar.

Dia 11/01/2016:
Finalmente descansadas, acordamos cedo para turistar pela cidade! Encontramos a mãe e partimos em direção ao Théatres Romains, local que abriga antigas ruínas romanas de Lugdunum (antiga Lyon), uma vez que a cidade foi a capital de Gaules a partir de 27 d. C., quando o Império Romano era fabuloso e conquistava geral.
"Solta o cabelo SSuliana, vai ficar linda SSSSuliana" PORTES, Andrea.
Seguimos em direção à  maravilhosa Basilique Notre-Dame de Fourvière, datada de 1884, na qual podemos ter uma vista panorâmica da cidade, já que a Basílica fica em cima da Colina Fouvière.
Vista de Lyon
Basilique Notre-Dame de Fourvière
Basilique Notre-Dame de Fourvière
Como somos ingênuas e confiamos cegamente na Ana Maravilinda, descemos morrendo a pé a Colina Fouvière em direção a Vieux Lyon (admito que era mais fácil deitar e rolar colina abaixo, de tão íngreme que é o trabusco!).


Chegando, finalmente, na Vieux Lyon, nossa guia turística Ana Luiza nos mostrou uma das coisas mais sensacionais da cidade, os traboules! *PAUSA PARA FATOS HISTÓRICOS* - Antigamente, a cidade de Lyon era muito voltada para a fabricação de seda. Como forma de proteger a peça de seda da chuva e viabilizar o transporte desta, foram construídas “passagens secretas” entre as ruas da cidade, espécies de túneis que passam no meio dos prédios, que são denominados traboules. Somente na Vieux Lyon existem 125 traboules!! Infelizmente, grande parte destes foram fechados, acho que era porque brasilerada que visitava os traboules passava gritando e incomodava os vizinhos, ai resolveram fechar para preservar a sanidade dos habitantes.

Primeiro traboule explorado!!

SHIIIU
Após visitar alguns dos traboules, seguimos o passeio até a Bellecour, conhecendo o Hôtel de Ville e o prédio da Prefeitura de Lyon. A Ana tá tão famosa naquela cidade que nos contou que já foi até chamada para uns coquetéis na prefeitura! AY QUE RYCA!

Beyonce no chinelo perto de nÓiSsS
Para fechar o dia da melhor maneira possível, realizamos nosso sonho de andar de bicicleta! Alugamos uma Velov, a bicicleta de Lyon, e passeamos pela margem do Rio Rhône.

Não me atropela, Seu Moçoooo
"Não escolhi a ViDa LoKa, a ViDa LoKa me escolheu..." PORTES, Andrea,
Muito amor envolvido <3
Musa, linda, diva, deusa, feiticeira!
Dia 12/01/2016:
O dia foi reservado para conhecer a região Croix-Rousse, região que fica localizada na outra colina de Lyon (eita cidade cheia de colina! Ana vai voltar bombada de lá sóquenão). Foi nessa região que se instalaram as principais fábricas de seda da cidade, tanto que é curioso perceber que o primeiro andar dos prédios tem um pé direito de cerca de 4 metros de altura, pois eram ali que ficavam as máquinas de tecer seda!
Aproveitamos o dia para conhecer um pouco mais da cultura da seda, visitando a Maison des Canuts, onde pudemos conhecer um pouco  da história sobre a fabricação da seda e as curiosidades sobre os artesões, como o fato de grande parte deles se tornar surdo, tendo em vista o estrondo muito alto que as máquinas faziam, assim como ficavam cegos depois de anos, já que forçavam muito a vista para acertar o desenho na seda durante a noite (cadê o adicional de insalubridade e periculosidade para esse povo??? AVANTE TRABALHADORESSS). 
Defesa de direitos dos trabalhadores tecelões à parte, ficamos apaixonadas por essa parte da cidade, principalmente com as pinturas nos muros! 




Para tornar nosso passeio ainda mais divertido, conhecemos um dos amigos da Ana, o Fabien, com que tomamos um café e conversamos um pouco sobre Lyon e sobre o Brasil (o Fabien é apaixonado pelo nosso Brasil Varonilll, e não vê a hora de viajar para cá!).

Dia 13/01/2016:
Acordamos cedo para aproveitar ao máximo nosso penúltimo dia de viagem (nããão!!!).
Como já tínhamos conhecido grande parte dos pontos turísticos de Lyon, resolvemos conhecer Annecy, uma cidade que fica próxima a Lyon e é ponto de parada do pessoal que vai esquiar na Suíça.

Inovamos nossa forma de transporte  e fizemos o famoso BLABLACAR! Na hora que alugamos não tínhamos entendido o por quê do nome “blabla”, mas foi só depois de ouvir a Ana Luiza falando SEM PARAR por quase 3 horas que entendemos a ideia por trás do nome. 
O blablacar é uma espécie de Uber para caminhos mais longos, ou seja, a pessoa que vai viajar de Curitiba para Campo Largo e tem 3 lugares sobrando no carro vende esses lugares para alguém que vai fazer o mesmo trecho. A ideia do blablacar não é lucrar pelo transporte de pessoas, mas conversar com alguém novo e fazer o trecho da viagem mais agradável! Valeu muito a pena e com certeza faremos de novo!
Depois da blablaviagem, chegamos à encantadora cidade de Annecy! Enquanto a mãe pulava de alegria de estar em uma cidade tão linda e charmosa como Annecy, eu e a Ana estávamos procurando no Google “técnicas de hibernação para não morrer de frio”

Primeira foto da Anta Luiza em Annecy
GENTE DO CÉU, QUE CIDADE FRIA! Em todas as fotos a gente tirava no par ou ímpar quem iria abrir mão de uma das luvas para capturar o belo momento.
Apesar do tenebroso horripilante extremo frio, nos apaixonamos pela cidade! Com um toque veneziano, a cidade tem um charme indescritível, com lindas montanhas, um lago incrivelmente azul e paisagens xuxuzentamente divinas!
Falando em xuxuzenta, não podia deixar de falar do nosso delicioso almoço. Enquanto Lyon nos recebeu com tripas e bucho para o almoço, Annecy nos recebeu com uma deliciosa refeição tradicional feita de batata e queijo, o famoso Tartiflette. Tem combinação mais certeira que batata e queijo??





Eita Tartifflete deliciosooo
Melhor Tiramissu do mundo <3

Finalizando o dia delicioso, demos au revoir à Annecy e retornamos ao habitat natural da espécie Zaza.

Dia 14/01/2016:
Depois do frio que passamos em Annecy, Lyon parecia ainda mais um paraíso! Aproveitamos nosso último dia na cidade para conhecer um pouco dos museus lyonenses (nem sei se existe essa palavra, mas ficou LINDJAAA).
Nossa primeira parada (minha e da mãe, já que a Ana já conhecia) foi o Museu de Miniaturas do Cinema. GEENTE, ISSO SIM QUE É MUSEU! O lugar era SEN-SA-CI-O-NAL! Era cheio de objetos originais usados em filmes famosos, como a máscara de Davy Jones, do filme Piratas do Caribe, um cenário só para o Grande Hotel Budapest, a Alien Rainha do filme Alien, o cenário oficial do filme Perfume, entre outros.
Seguimos para ao segundo museu, o de Marionetes de Guignol. (HISTÓRIA DA MARIONETE).
O passeio foi bem legal, e foi ainda mais interessante ver que as escolas fazem várias excursões com os alunos para o museu, a fim de ensinar um pouco da cultura da cidade para as crianças! Ai que gracinhaaa!
E, por fim, para dar adeus ao nosso passeio, fomos convidados pela família francesa da Aninha para uma janta especial. A Ana conheceu a Marie-Claude e o Jean-Pierre através de um site Lyon Internacional, no qual você cadastra e as famílias lyonenses te chamam para jantar e conhecer um pouco da cultura de Lyon, dos pratos típicos. Eles a acolheram de uma forma muito amável na cidade e viraram bons amigos.
Como moram em uma região mais afastada de Lyon, pegamos o ônibus e seguimos em direção à casa deles. A janta foi ótima! Fomos muito bem recebidas, demos muita risada com eles e entendemos o porquê da Ana ter tanto carinho por aquele casal! Além de muito engraçados, eles são ótimos de conversa além de maravilhosos anfitriões. Para a janta tivemos outra especialidade da região dos alpes, a Raclette, uma refeição composta de queijo, batata e carnes frias. 
A sobremesa foi Galette des Rois, uma sobremesa que é tradição  na época do Natal e é feita para comemorar a visita dos Reis Magos ao menino Jesus. O curioso e divertido da sobremesa é que dentro da torta está escondido o la fève, que pode ser um objeto qualquer, e a pessoa que pega o pedaço que a fève está escondida se torna a Rainha ou o Rei da noite! No nosso caso a Rainha Ana teve direito até à coroa!!!

Ana foi a Rainha da noite!
Muito obrigada por tudo!! Mercy!
A noite não podia ter sido melhor, sendo que voltamos para a casa mais feliz do que nunca, de ver que a Aninha estava sendo muito bem tratada e bem recebida em Lyon, que, por sinal, apresentou-se como uma cidade muito gostosa e aconchegante!

Dia 15/01/2016:
Infelizmente, como sempre, a felicidade da pobretaiada não dura muito tempo D:
Não bastasse ser o dia de ir embora de Lyon, a nossa reluzente mãe, como forma de agradecer a hospitalidade da Cumadi Ana Luiza, resolveu fazer uma SUPER FAXINA, sim, vocês ouviram bem, FA.XI.NA, no quarto da Madame. É claro que eu fui a funcionária do mês escalada para a limpeza “JSSSSSULIAAANA, LIMPE OS ARMÁRIOS DE SUA IRMÃ SSSSULIANA... JSSSSULIANA, TIRE O PÓ DAS GAVETAS DE SUA IRMÃZINHA, QUE NOS RECEBEU TÃO BEM JSSSULIANA” “JSSSSULIANA, QUE TAL FAZER UMA MASSAGEM HIDUÍSTICA NAS COSTAS DE SUA IRMÃZINHA”.
Apesar do sofrimento de ter que limpar o quarto da Jabironga,  o sofrimento maior estava por vir. *PAUSA DRAMÁTICA*
HORA DE DAR ADEUS.
Seguimos para a estação do trem que nos levava para o aeroporto e, depois de longos chororôs (da Ana Luiza, porque eu não chorei nada) e de longos e mais looongos abraços, deixamos nossa Zazazinha (BUÁÁÁÁ) na cidade de Lyon (QUEM DEVIA ESTAR CHORANDO ERA EU, JÁ QUE ELA VAI FICAR NA CIDADE MARAVILHA E EU VOLTANDO PRA VIDA DE TRABALHADORA RUPESTRE!).
Ne me quitte paaaaas
MAS A SUPRESA ESTAVA POR VIR.
SIM.
FOI NO AEROPORTO QUE VIVI O MOMENTO HISTÓRICO DE MINHA VIDA:

NEVE!!!!!!!!
FINALMENTE, não podia viajar mais uma vez para o inverno desgramado e não ver neve né!!!
E assim terminou nossa aventura pela Espanha e França, repleta de piadas internas (como o susto de JSSSSULIANA) e de ótimos momentos.

JÁ ESTAMOS COM SAUDADES DE VOCÊ ZAZA!!! 
Ps: E a Zaza ainda ganhou surpresinha debaixo do travesseiro, quando voltou para a casinha maravilinda dela:
Te amamos Zaza! Ou Anna Louise, hehehe.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Te dejo España

Escrito por Ana Luiza:
Boa noite pessoal!!
Desculpem-nos de não ter atualizado o blog antes, mas estávamos sem internet no hotel D: Post long, mas só para deixar o blog em dia!

01/01 e 02/01 - sexta feira e sábado.
Depois de um ano novo sen-sa-cio-nal (cof cof), botamos o pé na estrada rumo à cidade de Valência. Os primeiros 30 minutos de estrada foram regados de salsa, música alta e felicidade suprema.
Claro que felicidade de pobre dura pouco, a música já mudou para uma marcha fúnebre quando a mãe deixou um rim na estrada para pagar as taxas da rodovia.
Apesar das lágrimas para pagar as taxas, a viagem foi tranquila. Como sempre, cada uma das Portes teve seu papel muito bem definido, a Mãe dirigindo, eu de GPS e a Juliana parecendo uma lagarta dormindo no banco de trás, sempre muito útil...

Depois das 3h de estrada, chegamos à linda cidade de Valência, terceira cidade mais populosa da Espanha e fundada em 138 a.C. Apesar de ser uma cidade enorme, o centro turístico pode ser facilmente conhecido em apenas um dia.

Para não perder tempo, aproveitamos a noite de sexta e o dia de sábado para passear pela cidade. Visitamos a famosa Plaza de Toros de Valência, local onde ocorriam as famosas touradas (e local onde ficamos ouvindo a Juliana discursar por umas 3 horas sobre a brutalidade das touradas e dos direitos dos animais), passeamos pela Plaza de la Reina e pela Catedral de Valência. Graças à nossa busca por Geocachings, descobrimos que poderíamos subir em uma das torres da Catedral, onde tivemos uma visão divina da cidade.
A subida muito espaçosa..


Juliana e suas estranhas amizades...
A básica cena de a mãe surtando comigo estragando
as fotos

Além de seus pontos turísticos, uma das coisas mais legais de Valência é a grande área verde que corta a cidade! Originalmente, tinha um rio que passava neste canal, mas devido às inundações resultantes do rio, os valencianos resolveram secá-lo e transformar a área em um grande parque para a prática de esportes e centro cultural, ficando conhecido como Parque da Túria.
Como o tempo estava bem feio e estava chovendo, pegamos o ônibus de turismo para fazer um super CityTour. O passeio dura cerca de 2h30 e passa pelos pontos principais da cidade, o que vale muito a pena, se você não tiver muito tempo para dedicar às caminhadas na cidade. 
Andreahmed Admejjah participando do passeio
Marinete e Andreahmed curtindo o passeio

E, com peso no coração e curiosidade para conhecer nosso próximo destino, voltamos ao hotel para arrumar as mochilas e partir para a misteriosa capital espanhola, Madrid.

03/01 - Domingo   
Enquanto Barcelona nos recebeu com um lindo sol e um céu azul, Madrid nos recebeu um tanto quanto emburrada, com um tempo chuvoso e céu cinza. Chegamos de manhã na cidade, e já tiramos da mochila nossa coleção de casacos grossos e luvas. 
Como início dos nossos dias madrileños, começamos nosso passeio conhecendo os arredores da cidade, como o passeio da Castellana e bairro Chueca. Dentres suas principais atrações temos a Plaza del Cólon, com um monumento para Cristóvão Colombo e o Museu de Arqueologia. 
Biblioteca Nacional 
Madrid, cidade abençoada
Puerta del Sol
Marco zero de Madrid
Por ser o primeiro dia na cidade, voltamos ao hotel para dormir por doze horas um pouco, já que nosso passeio do outro dia seria corrido. 

04/01 - Segunda feira
Com esperanças de ver um sol lindo, estilo Telletubbies no céu, a Dona Andrea abriu as janelas do quarto e deu de cara com.... TCHANANNAÃ, um tempo horroroso. 
Mesmo embaixo de ventos de 40 km/h e chuva, fomos encarar no maior bom humor nossa rotina de passeios nos prédios véios, quer dizer, históricos. 


Nosso passeio de hoje foi dedicado à Madri dos Bourbon, região que tem o dedo da dinastia Bourbon em grande parte dos parques e hotéis da região. Conhecemos a Puerta de Alcalá, portal que o Rei Filipe II havia feito para receber sua mulher no século XVI (enquanto isso, a muiérada brasileira ficando feliz de receber flores), o Parque del Retiro, parque que até 1869 barrava a entrada dos visitantes que estivessem se vestindo mal (MaLoKeIrAdA NãO EnTrA, #cancelaorolê) e o Museu do Prado, um dos museus mais famosos do mundo.
Puerta de Alcalá
 Parque del Retiro
Continuamos nossa caminhada até o Centro de Arte Reina Sofia, museu que abriga diversas obras de arte de, principalmente, Picasso e Salvador Dalí. A melhor cena foi a Juliana se enganando na hora de ver quais principais obras estavam no museu e sair pulando achando que o quadro da Santa Ceia e a Monalisa estariam ali, até se tocar que estava procurando o Museu errado no Google.. 
Dentre as obras mais famosas está a pintura de Picasso chamada Guernica, quadro de 1937 que busca retratar um pouco dos horrores da Guerra Civil Espanhola. Infelizmente, é proibido bater foto deste quadro, mas valeu a visita, o quadro é maravilhoso!!
Juju e Dalí
Juju e Miró
Para finalizar nosso passeio histórico, conhecemos mais alguns prédios velhos, como o Palácio Linhares, a Plaza de Cibeles e o Banco da España. 


Mãe passando na frente do Hotel Ritz (só na frente mesmo...)
Museu do Prado
Palácio das Linhares
Ayuntamento de Madrid (Prefeitura)
Como nem só de história vive a mulherada, terminamos nosso dia fazendo algumas comprinhas pela cidade para nos prepararmos para a continuação de nossas aventuras! Mais uma vez, passamos 30 minutos ouvindo os discursos anti-capitalistas da Juliana, mas encontramos depois ela na H&M com umas 4 bolsas e uma montanha de roupas que já estava indo provar. Doces ironias da vida...
E o bom gosto sempre presente...
05/01 - terça feira. (atualização da Jujuliana Linda a partir daqui, Ana Luiza voltou para seu sono de beleza)
E finalmente Madrid nos recebeu de bom-humor, com um sol magnífico nos esperando na porta do hotel! Resolvemos então fazer nosso passeio na Madrid mais turística, passando pela Ópera Real, Plaza de las Armas, Palácio Real e a maravilhosa Plaza Mayor.
Plaza de las Armas
Plaza Mayor
Homem aranha deu uma exagerada na ceia de Natal...


As Bailarinas
O Urso símbolo de Madrid
No meio de nosso passeio, encontramos um grupo de estudantes de história que estavam oferecendo free tour pelos pontos principais de Madrid. Ainda que eu tenha sido gentilmente um ogro, e dito não para a oferta deles (afinal, sou brasileira, estamos acostumados com nosso estilo jaburu de tratar vendedores de rua), a mãe conseguiu redimir minha ogrisse e descolou uma super tour histórica com os estudantes. 
O passeio com eles foi muito legal! Eles nos levaram para alguns lugares que já tínhamos visitado de manhã, como a Plaza Mayor e a Ópera, mas tornaram o passeio muito mais interessante, já que contavam várias curiosidades da região e ruas. Por exemplo, nos levaram para uma rua que tinha o restaurante mais antigo DO MUNDO, o Restaurante Botín de 1725, contaram que a estátua da Rainha Isabel, na praça Isabel II, estava photoshopada, já que a mulher pesava uns 150 kg, mas a escultura mostrava uma donzela com corpo de Xisele Bintchem!
Restaurante Botín, mais antigo do mundo!
Nossos queridos guias turísticos
Foram 40 minutos recheados de risadas, piadas e de curiosidades! Adoramos o passeio!
Depois de conhecermos o centro da cidade, fomos para a Plaza de Las Ventas. Admito que estava com medo de ir no lugar, pois é onde fica a Arena de Las Ventas, segunda maior arena de touradas do MUNDO! Como vocês sabem, sempre fui contra as touradas, acreditando ser uma prática extremamente brutal e malvada com os animais, pois matavam o tourinho fofutxinho só por diversão.
Arena de Las Ventas
Mas, sinceramente, depois de conhecer a Arena de Las Ventas e um pouco sobre a cultura das touradas, admito que mudei um pouco, ou muito, de opinião! 
Além de ser um lugar muito show de conhecer, visto que podemos entrar em todos os lugares da Arena e ver vídeos sobre as touradas que ocorrem ali, recebemos um audioguia explicativo sobre como acontecem as touradas, quais os aspectos culturais, o período que acontecem e como ocorrem, e tudo mais.
Pelas explicações, cheguei à conclusão que a relação animal-humano nas touradas acontece de uma forma muito linda, um respeito mútuo entre toureiro e touro. Realmente, é muito bruta, sanguinária e medonha, mas é a expressão de toda uma cultura milenar que trata não só o toureiro, mas também o touro, como reis, como os maiores artistas e ídolos que a Espanha poderia ter.
Continuo achando que eu iria assistir uma tourada me afogando em lágrimas, já que o tourinho txutxuquinho poderia morrer, mas admito que não iria mais correr na arena com placas de "PAREM AS TOURADAS! #DIREITODOSTOUROS!".


Tá, larguei o direito, virei toureira!
A mãe ainda não se conforma de não poder assistir uma tourada, já que o período que elas ocorrem é entre março e outubro, com touradas todos os domingos, mas ficou satisfeita de enfrentar uma fera muito brava: 


Para finalizar nosso dia da melhor maneira possível, fomos encontrar o amigo da Mãe, o Gabriel Ferretti, que mora aqui na Espanha a mais de 10 anos. Foi um reencontro bem legal, com várias histórias e horas e horas de conversa (levem em consideração que a mãe é um papagaio, e eram mais de 10 anos de história para colocar em dia!).

Dia 06/01 - quarta feira
Cobertas de cachecol, luva, touca e jaquetas, fomos conhecer a cidade de Toledo, que fica a 1 hora de Madrid.
Toledo é uma cidade medieval que fica no topo de um morro, cidade que pertence à comunidade autônoma de Castela-Mancha, a região do nosso querido Dom Quixote e Sancho Pança! 



Andrea Pança e Dom Juliaxote
Nosso grande amigo Cervantes
Desta vez não ficamos presas aos mapas e aos nomes das ruas, mas andamos por toda a cidade, conhecendo a arquitetura e conversando com os Todelensses (acabei de inventar essa palavra, só sorriam e acenem...). 



O passeio foi bem gostoso, comemos a comida típica de Toledo, conhecemos a cidade e demos muita risada (e passamos muito, mas muito frio!!!)


Dia 07/01 - quinta feira
Tristes de estarmos nos despedindo da cidade de Madrid, aproveitamos nosso último dia madrileño para finalizar o Tour Cultural na cidade, passando pela Estação del Nord, que é a estação ferroviária central de Madrid, o Templo de Debod e comer deliciosos queijos no Mercado de San Miguel, mercado municipal de Madrid. 

Muito amor em uma só foto!
Ou não...
Templo de Debod
A musa, a diva, a deusa... Madrid. ah, e a mãe, é claro
E para dar adeus à cidade no melhor estilo Espanhol, fomos assistir um show de Flamenco na Taberna de Mister Pinkleton. O show foi sensacional, nada daqueles espetáculos hollywoodianos feitos para turistas, mas uma apresentação mais aconchegantes, bem linda e divertida! Claro que até demos um jeito para subirmos dançar no palco, né...



O dono da Taverna até quis nos contratar como dançarinas
E com muita, mas muita dor no coração, demos adeus à Madrid! Como diria Shakira, ay me voy otra vez, ahí te dejo Madrid:

08/01 - sexta feira.
Finalmente estamos em dia com o blog! Chegamos cedo à cidade de Zaragoza, cidade da província de Aragão.


"Faz cara de intelectual para eu postar no blog"
A cidade passou a tarde toda como uma cidade fantasma, sem ninguém (absolutamente ninguém) nas ruas. Foi só as 18h que nos surpreendemos com alguma movimentação, dos Zaragonensses (mais uma palavra inventada, hehehe) saindo jantar.
Realmente, não sei se foi por amor extremo à Barcelona e Madrid, mas Zaragoza não nos agradou muito... 
Mas amanhã estamos ansiosas para conhecer a cidade da Dona Zaza, Lyon!