Páginas

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Life is beautiful

E ai pessoal, tudo bom? Desculpem a demora para postar, mas o Moose estava com depressão pós viagem, e não queria aceitar que estava de volta no forno que está Curitiba D:
Mas é hora de contar um pouco das nossas aventuras por Miami!!
Saímos do cruzeiro no dia 09 e seguimos para nosso hotel em Miami, onde ficaríamos até o dia 12. Quando chegamos no hotel fomos atendidos pelo recepcionista Jameson, o Latrel das Branquelas numa versão XXL. O Jameson era ótimo, super engraçado! Eu e a Ana ficamos um tempão batendo papo com ele :D
Nossa estadia em Miami foi, em grande parte, para alimentar meu vício consumista e o vício de mão de vaca da Ana! Eu queria comprar tudo que via pela frente, e a criatura sempre olhando as etiquetas e vendo se estava caro :( E o pior, a maioria das coisas não valem a pena. Como o dólar está alto, o preço da roupa acabava ficando similar ao preço no Brasil, isso que teríamos que dispensar um tempo imenso para conseguir achar algo legal nas lojas enormes! Mas acabamos achando algumas coisinhas legais, a mãe realizou o sonho dela de comprar o personagem preferido dela, o Pateta!


Como não vivemos só de shopping, tiramos um dia de Miami para conhecer alguns pontos turísticos. Acordamos cedo no dia 11 e seguimos para Miami Beach. O lugar é lindo, bem organizado e com uma praia azul maravilhosa! Como estava frio, acabamos só olhando a praia.
Conhecemos a casa de Gianni Versace, um estilista famosão que foi assassinado por um gigolô com dois tiros na nuca na entrada de sua casa em Miami Beach, o calçadão de Miami, cheio de restaurantes e lojas (à essa altura eu já não aguentava mais ver lojas na minha frente!!) e, como Miami MOOORRE de inveja de Curitiba, eles copiaram nosso astro mais famoso e mais querido, com vocês... O OILMAN DE MIAMI!

A casa de Versace
Olha lá quem vem virando a esquina, é o Oilman com toda alegria,
fingindo estar pedalaando
Ruazinha cheia de restaurantes típicos de várias
regiões do mundo
Española Way e seus deliciosos restaurantes
Estúdio de tatuagem do programa Miami Ink, a mãe, que AMA tatuagem
 estava louca para tatuar o braço inteiro! 
Mas agora vem a parte que eu mais gostei da viagem inteira! De tudo tudo!
Saindo das praias e lojas de Miami, fomos conhecer o Memorial do Holocausto, um museu a céu aberto criado em homenagem às vítimas do massacre nazista. O memorial é emocionante, literalmente! É uma praça com várias esculturas representando o sofrimento dos judeus, com várias placas informando nomes de judeus que morreram, informações sobre o que acontecia nos campos de concentração, fotos do período, frases que representavam a agonia das vítimas. Nenhuma das esculturas apresentam um rosto que não seja de tristeza e dor.





Quando estávamos prestes a sair do memorial, entramos em uma sala para pedir umas informações e nos deparamos com um senhor de uns 90 anos conversando com um casal, contando algumas coisas para eles. Quando chegamos mais perto descobrimos que ele estava contando ao casal um pouco sobre a vida dele.
O senhor se chamava Sol Shalom, um judeu nascido em Pruzany, na Polônia, em 1925, que sobreviveu aos campos de concentração. Com um inglês extremamente difícil de entender, Shalom nos contou que ele e sua família sobreviveram 16 meses no gueto, locais onde os nazistas concentravam a população judaica, isolando-os da comunidade, e os forçando a viver sob condições miseráveis. Em seguida, eles foram transferidos aos campos de concentração: Birkenau, Auschwitz, Babitz, Mauthauesen e Dachau. Em 1945, Shalom e seu irmão, os únicos sobreviventes da família, foram liberados pelas tropas americanas, após 12 dias sem ter o que comer.
Acerca da vida nos campos, Shalom pediu que não fizéssemos perguntas, pois, segundo ele, não importa o que ele dissesse, o quanto ele tentasse explicar como era a vida lá, nós nunca entenderíamos o que ele viu, o que passou e quão grande era a crueldade que existia nesses lugares.
Apesar de ter sofrido muito, ter perdido os pais, irmãos, amigos e outros familiares, Shalom pede que não fiquemos triste por ele, ficou repetindo “Life is beautiful!” (A vida é bela!), e nos disse que hoje ele era uma pessoa muito positiva, agradecendo todos os dias pela sua vida e um senhor muito sorridente e divertido! Foi uma experiência única conhecê-lo! Além das cicatrizes, Shalom traz no braço o número 98119 tatuado, o número que o identificava nos campos de concentração.




Acredito que conhecer esse senhor tão positivo, tão alegre, fechou com chave de ouro nossa viagem pelos Estados Unidos. Vale aqui nosso muito obrigada a minha linda mami, que passou o ano de 2014 inteiro planejando, pesquisando e trabalhando para conseguirmos fazer essa viagem super especial, que aproveitamos muitos, nos divertimos e conhecemos pessoas surpreendentes! Obrigada mãe! Te amamos muito!
Espero que vocês tenham gostado do blog, o Moose mandou um beijo grande aos leitores, e um ótimo 2015 para todos!

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Fifty shades of blue

 Olá galera!

Infelizmente estamos chegando ao fim da nossa viagem :(
Como dizem, tudo que é bom acaba rápido, até meu pacote MAXI 1kg de M&M´s... Tá, esse não acabou porque eu nem cheguei a comprar. Obrigada mãe. 

Agora,conforme prometido, vai uma narração do nosso passeio de navio da semana!
Saímos de Orlando na segunda feira e dirigimos 4 h até o porto de Miami! O navio era bem divertido, o Moose já foi recebido pelo comandante na entrada:


Todo mundo já entrou animado e no primeiro dia ficamos no deck da piscina dançando com a equipe de animação e tentando imitar as coreografias! O pior era que todo mundo já conhecia as danças, como essa, que tocava o tempo inteiro no navio:


Depois da quinta vez tentando já estávamos camufladas no meio da galera que já sabiam dançar! 

Super camufladas 


No navio haviam 67 nacionalidades diferentes, os brasileiros em segundo lugar em quantidade, e os americanos em primeiro, como esperado.  
De noite assistimos o show de teatro que o navio oferecia e fomos jantar. No outro cruzeiro que fizemos,aprendemos que ''Obrigado'' na língua indonésia é ''Terima kasih''! Quando chegamos no restaurante, fomos recebidas pelo Budy, o nosso staff indonésio, que ficou muito feliz quando dissemos Terima kasih para ele! Depois disso ele resolveu trazer todas as noites um bônus de entrada e um prato principal! No final a mãe tinha que comer tudo... Depois ela não entendeu porque teve que comprar roupas com numeração maior hahaha

Terima kasih Budy!!
Depois da janta, foi hora de conhecer as festas que o navio oferecia. Um dos bares só tocava música latina, o qual nós mais gostamos! Tinha festa na piscina, festa com DJs, karaoke... Para todos os gostos! 

Dia seguinte,acordamos em Nassau, a capital das Bahamas. A cidade fica localizada em uma das 3.000 ilhas que compõem o país.Quando os turistas desembarcam no porto, são assediados por VÁRIOS agentes de turismo que querem vender as passagens para os passeios às praias. Você vai pedir uma informação e os agentes já vão te colocando dentro das vans ou colocando passagem de Ferry boat na sua mão! É difícil se livrar deles.

Resolvemos caminhar pela cidade para conhecê-la. O que nos chamou a atenção é que haviam alguns carros com volante do lado direito e  outros do lado esquerdo, e as ruas na mão inglesa. Depois descobrimos que as Bahamas é um país colonizado pelos ingleses, e ainda mantêm laços políticos com a coroa britânica, apesar de ser um país independente. 




Desfile de escola que estava acontecendo quando chegamos
As praias mais populares estão distante do porto, então pegamos um táxi e fomos à Paradise Island!

O volante inglês!
A praia é mesmo paradisíaca. O mar tem todos as cores de azul possível que se juntam com o céu. Não tem como explicar em palavras!




Depois de tomar um sol, voltamos e fomos tentar a sorte no cassino... só perdemos :(
haha 

Quando chegamos no nosso quarto encontramos um elefantinho que nossa camareira deixou.



Dia seguinte, acordamos em CocoCay, que é uma ilha particular da Royal Caribbean! Se nos tinhamos gostado de Nassau, CocoCay nós amamos!  A ilha conta com uma estrutura de resort para descansar o dia inteiro e beber os famosos CocoLocos!




Um dos habitantes da ilha
Barefoot beach, você pode andar uns 30 metros e ainda está rasa a água


Moose se bronzeando





E nossa última parada  foi em Key West! Esta é a cidade mais ao Sul dos Estados Unidos, então você encontra ''O Hotel mais ao Sul dos EUA'', ''A lata de lixo mais ao Sul dos EUA'', e assim por diante.


Museu de arte e história de Key West



Bar de Rock, os clientes podem decorar o bar com mensagens em notas de 1 dólar

Ponto mais ao sul (não sei quem são essas pessoas)




Até o começo da tarde conseguimos conhecer toda a parte turística da cidade, menos a praia porque estava muito frio!! 

A última noite é sempre a mais divertida, mas também a mais triste. Dar tchau para todo mundo que conhecemos, fazer as malas, pensar onde você poderia se esconder pra não ir embora, se despedir do Budy, da camareira e suas dobraduras nas toalhas...enfim, tivemos que desembarcar!

Tchau para a tripulação...

... e para o diretor de animação!
Moose queria ficar!!
E o melhor, o TOP five das perguntas mais absurdas que foram feitas nesse cruzeiro para o diretor de animação: (nenhuma feita por nós, hahaha)

1 Essa escada, ela sobe ou desce?

2 Essa ilha é inteira rodeada por água?

3 A que nível do mar nós estamos?

4 A água do sanitário é doce ou salgada?


5 A tripulação dorme no navio?
Não, eles param o navio de noite e todos descem para dormir.

domingo, 4 de janeiro de 2015

The New Adventures

Boa noite folks!!

Estão com muitas saudades? Nós estamos, só não mais que a saudade da comida do Brasil! Estamos à base de Coca Cola, hambúrguer e batata frita. A Ana já deve ter comido um 1 kg de MM´s.

Aqui vai um post resumindo os últimos 3 dias de passeios em parques!

Na sexta feira fomos conhecer o parque Busch Gardens, um parque conhecido pelos seus brinquedos radicais! A mãe começou a passar mal um dia antes de tanto nervosismo, tentou se perder umas 5 vezes no caminho até o parque, e ainda ficou branca quando chegamos no lugar. Como chegamos cedo, corremos para a montanha russa Sheikra, a montanha do vídeo que postei da última vez, e não pegamos nada de fila. A montanha era sensacional, com queda livre de 90º, uns loopings super massas, e o melhor: A MÃE FOI. Não só uma vez, ela resolveu nos acompanhar quando saímos da montanha e corremos repetir a dose! Tudo bem que ela passou a montanha inteira gritando “ISSO NÃO É DE DEUS, ISSO NÃO É DE DEEEEEEUSS”, mas valeu as risadas.
Fizemos mais umas 3 montanhas radicais e uns outros brinquedos, mas em resumo o parque é medonho. Você sai de um brinquedo radical e dá de cara com uns pinguins, ao som de uma música religiosa (AVE MARIA, dueto Angela Maria e Agnaldo Rayol), acreditem!!
Você anda um pouco e chega em um saguão com uma decoração medieval e cadeiras no teto. O parque contou com a colaboração  dos piores decoradores que se pode imaginar, um festival de breguisses e coisas sem noção. Nem batemos foto direito, de tão feio que era aquilo. Para quem gosta de brinquedo radical, o Busch Gardens vale a pena, mas para quem gosta de lugares bonitos e bem decorados, fuja daquele lugar medonho.

Uma das montanhas russas do parque
No outro dia fomos curar nossa decepção do Busch Gardens na Island Of Adventure, parte do parque da Universal (o parque é dividido em Universal Studios e Island of Adventure, você pode fazer os dois em um dia ou em datas separadas). De todos os parques que fomos, esse ganha nossa indicação em disparada! Decoração impecável, brinquedos divertidos e para todos os gostos, música e cenário de bom gosto!
O parque reúne diversos personagens, desde Harry Potter, o Grinch, os heróis da Marvel, até os dinossauros de Jurassic Park e os deuses da mitologia grega, cada um com seu cenário que fazem você se sentir dentro da história!








Suco de Moose!!

Montanha russa do Hulk

Moradores da Cidade dos Quem conhecendo o Moose

How the Grinch Stole the Moose






 Tiramos o outro dia para conhecer o outro lado do parque, o Universal Studios. O parque é mais antigo que a Island of Adventure, com brinquedo mais limitados e que não impressionam tanto, com algumas exceções. No geral, quase todos os brinquedos são de cinema 3D ou 4D, o que desanima as pessoas que ficam tontas e enjoadas nesse tipo de atração, né Ana...
O gostoso do parque é bater foto nos cenários, passear pelos diferentes bairros temáticos, dar um abraço  nos diferentes personagens que você encontra no caminho, e brincar um pouco nas atrações que o parque oferece.  




Para os fãs de Harry Potter, como eu e a Ana, vai um parágrafo especial dedicado às paradas obrigatórias dos parques da Universal: HOGSMEADE e o BECO DIAGONAL!
Cada um fica em um parque, o beco fica na Universal e Hogsmeade na Island, mas ambos são espetaculares! Você realmente se sente no mundo do Harry, passeia pelas lojas descritas pela J.K. Rowling, pode comprar feijõezinhos de todos os sabores, o sapo de chocolate, comprar varinhas e fazer feitiços pelo parque, conhecer as Gemialidades Wesley, conhecer o Castelo de Hogwarts e o Banco de Gringotes em um passeio no cinema 4D, e até assistir uma varinha escolher um bruxo na loja de varinhas do Olivaras! É um lugar SENSASIONAL! Mas vai a dica: quando chegar nos parques, CORRA PARA O MUNDO DO HARRY! As filas ficam imensas depois de um tempo, principalmente em Gringotes, o brinquedo novo da Universal!


Interior da loja Gemialidades Wesley







Suco de abóbora



Enfim, nossa saga de passeios pelos parques acabou, admito que vou ficar contente de não ter que ficar ouvindo a Ana Luiza Metida a Engenheira me falando em todas as fila das montanhas russas sobre como é impressionante a energia potencial se transformar em energia cinética para o carrinho se mexer, e blá blá!!
Foram dias bem divertidos, batemos muitas fotos, demos bastante risada, cansamos esperando nas filas, mas tudo valeu :)
Agora vamos aproveitar para descansar um pouco e relaxar no cruzeiro por Bahamas, no qual ficaremos incomunicáveis até o dia 10, uma vez que não tem internet no navio. Mas podem deixar que faremos um post especial quando chegarmos do cruzeiro.

Beijos do Moose para vocês!! Até dia 10 ;)