Páginas

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

La triomfant Catalunya



Boa noite amiguinhos!
Primeiro, devo dizer que hoje o post será um tanto quanto longo, já que era a vez da Ana de atualizar e, como todos conhecemos o bicho preguiça, eis a "busca de inspiração" da nossa digníssima escritora:


A Monalisa Catalã
Como resultado desta busca infinita por inspiração, estou atualizando nossas aventuras dos últimos três dias. Culpem a dona Ana Luiza pelo post longo :P

Dia 27/12 – Domingo
Amanheceu, pegamos a viola, botamos na sacola e fomos para o Monestier de Montserrat, um mosteiro de monges beneditinos datado do século IX que fica no Mont Serrat (Monte Serrado), um pico de 1.256 metros de altura.
O local fica a umas 2 horas do centro da Espanha, mas vale a pena a visita! O lugar é muito bonito, com paisagens sensacionais e uma vista de tirar o fôlego. E, falando em fôlego, vale a dica de ir no Mosteiro com sapatos CONFORTÁVEIS! O lugar é cheio de trilhas para os santuários, que têm entre 40 e 50 minutos, então não dá para ir de sapatilha no lugar (nãão que a gente tenha ido de sapatilha, imagina, não... COF COF)


As Divas de Montserrat

Capela de Montserrat
Quando a pessoa nasce diva, não tem quem tire isso dela...
A vista do Monastério
Foi um passeio bem divertido, apesar da demora para chegar e os 40 minutos presas na estação de volta, já que resolvemos pegar o trem errado, valeram as lindas fotchenhos que tiramos.

DIA 28/12 – Segunda Feira

Acordamos cedo e continuamos nosso tour por essa cidade diva! 
Nossa primeira parada (e nosso lugar preferido até o presente momento) foi o Hospital de la Santa Creu i de Sant Pau, um hospital projetado em 1902 com a ideia de que os pacientes se recuperariam bem mais rápido em locais mais agradáveis. A mãe gostou tanto do lugar que já estava marcando umas 40 plásticas, só para se recuperar nesse paraíso, mas infelizmente o hospital foi desativado e transformado apenas em local de visitação. 
Entrada do Hospital
Estrutura de dentro
Os mosaicos, como sempre, enfeitando até os hospitais!
Depois de arrastar a mãe para fora do Hospital, seguimos até a famosíssima e mais estranha igreja de Barcelona, a Sagrada Família. A igreja começou a ser construída em 1882 e o mais renomado escultor/artista de Barcelona, Antoni Gaudí foi contratado, em 1883, para arquitetar a Igreja. Gaudí, a partir de 1914, largou todos os seus trabalhos e investiu todo seu dinheiro para se dedicar à construção da igreja, mas acabou ficando tão pobre que passou a pedir dinheiro de porta em porta para levantar fundos para a construção e acabou sendo morto por um bonde em 1926. Gaudí está, inclusive, enterrado em uma cripta na própria igreja.
Com a morte dele, a construção da igreja não foi finalizada, sendo que até hoje estão levantando fundos para sua construção. A expectativa é de que finalizem em 2026, no centenário da morte do Gaudí.
A igreja tem duas fachadas, uma que parece uma casquinha de sorvete de chocolate derretido de ponta cabeça (ou uma torre de areia, na opinião da Ana), e outra entrada mais chique, com umas obras normais.
Eu, particularmente, achei a entrada sorvetão sensacional! Parece uma gruta de pedras, sei lá, mas é o máximo! 

Fachada da Natividade, ou, como chamada pela famosa Juliana Portes,
 a Fachada Sorvetão
A Fachada da Paixão, a mais normal e chiquezinha.
Na mesma região, visitamos alguns marcos da arquitetura modernista, como as obras de Gaudí e de Doménech i Montaner. Dentre elas, as mais marcantes são a Mançana de La Discórdia, um quarteirão cheio de casas modernistas, como a Casa Batló, e a Casa Milà, edifício projetado por Gaudí sem nenhuma parede reta!
Casa Batló
Casa Milá
Continuamos nosso passeio andando por dentro dos bairros da cidade, para conhecer um pouco da vida dos barcelonenses, visitamos o Arco do Triunfo versão espanhola, o Parc de la Ciutadella , um ‘parque barigui’ falsificado espanhol e finalizamos nosso passeio visitando a Catedral de Barcelona.

Mãe já virou cliente VIP nos restaurantes
Arquito del Triunfito (vai dizer, que espanhol maravilhoso!)
Catedral de Barcelona
DIA 29/12 – Terça feira
Depois de arrastar a Ana Luiza para fora da cama, dedicamos nossa manhã ensolarada para conhecer o Montjuic, principal  área de recreação dos barcelonenses. Visitamos o Museu de Arte de Barcelona, a ‘Fonte Mágica’, o Estádio Olímpico de Montjuic e a Fundação Joan Miró.
 
Antigo arena para touradas, convertida em Shopping Center

Museu de Arte da Catalunha
Um pouco da arte catalã
Estrutura do Museu 
Vila Olímpica
Reza a lenda que fantasmas de grandes e lindas atletas ainda
rondam o Estádio Olímpico... 
Principal atração barcelonense, AS SOMBRAS DANÇANTES.

Depois de lindas aparições e sombras dançantes, continuamos nosso passeio e pegamos um teleférico para subir até o Castell de Montjüic, um castelo do século XVIII que fica situado no pico do Montjüic. O lugar é bem bonito, com uma vista incrível da cidade (mas que não supera a vista do Monumento a Colombo).

Castell de Montjuic

Galerinha praticando arco e flecha
Subida de teleférico
Como eu e a Ana somos MaLaNdRiNhAs, aproveitamos o passeio para procurar GEOCACHINGS! Para quem não sabe, Geocaching é como um jogo de Caça ao Tesouro mundial, no qual as pessoas escondem itens pelo mundo para que outras pessoas achem! Vale a pena conferir, nós já encontramos duas aqui!!
NOSSA PRIMEIRA GEOCACHING CATALÃ!
Depois de nossa descoberta geocachiana sensacional, fomos visitar o famoso Aquário, cheio de Dory's, Nemos e tubarões!
Tretas dos Peixes
Tututubarão
OLHA QUE LARVA FROM HELL HORRÍVEL 
Acqua Rainha


E para fechar com chave de ouro nosso dia, largamos nosso mapa e saímos vagando pelas ruelas de Barcelona, comemos sorvete e demos muita risada observando as bizarrices da cidade!

Servidos de...... ????
Ahh ma che bel gelato italiano!!!
A RAINHA DA CATEDRAL DE BARCELONA
E esse foi nosso dia! Até amanhã, com atualizações da Ana Luiza (que já terá achado a 'inspiração' até lá)!!

domingo, 27 de dezembro de 2015

O carrapato internacional

E os corações da Dona Andrea e Ana estavam batendo forte no dia 24, afinal, seria o reencontro da mamãe e da filhinha.


Com sua plaquinha de "MADAME ANDREA LINHARES", a inocente Ana Luiza reencontrou a Dona Andrea e a abraçou com lágrimas nos olhos, uma emoção que não sentia desde que encontrou a promoção de M&M's no Carrefour (no qual é cliente VIP, pelo que descobrimos depois), sem saber o que estava por vir...

MOMENTO TENSO!


Um pouco mais atrás, um par de olhos míopes observa tudo, esperando o momento do bote: 





E, no momento que a Dona Andrea diz "Filha, vamos bater uma selfie para mandar para a Jujinha que ficou no Brasil!" e ergue a câmera, surge de trás da pilastra uma voz angelical dizendo "QUERO APARECER NA FOTO TAMBÉM!"!
E lágrimas para todos os lados vendo a linda cena do reencontro das Irmãs Portes, que emoção!


Depois do lindo reencontro emocionante, deixamos nossas malas no hotel e já corremos para o centro da cidade para aproveitar um pouco da bela Barcelona. 
Pegamos o metro (que por sinal, é ótimo!) e seguimos para La Rambla, a histórica avenida que começa na Plaça de Catalunya e segue até o mar. A avenida é muito movimentada, cheia de bancas de jornal, artistas de rua, vendedores de bolsas chiquérrimas de origem xinguilingue  e restaurantes. Paramos para comer os famosos tapas e beijos é ódio é desejoooo e as tradicionais paellas. 
A musa da La Rambla

Ok.. dispensa legendas.
Servidos de paellas e sangria?

Como estávamos cansadas depois das fortes emoções, fomos descansar no hotel, já que o próximo dia seria corrido.

Segundo dia de aventuras Barcelonescas - 26 de dezembro.

Com as emoções da viagem, nos demos ao direito de dormir até tarde, acordamos às milagrosas OITO DA MANHÃ! Depois de um café da manhã divino, corremos bater perna nas ruelas góticas da cidade. 
Começamos nosso passeio pela Plaça de Catalunya, a mais central e a maior das praças de Barcelona e ponto de início da La Rambla (rua que passeamos ontem). 
Cabe aqui fazer uma observação muito importante para compreender um pouco mais do que é a Espanha e  o que entendemos por Catalunha. A Catalunha é uma comunidade autônoma da Espanha que, conforme explica o super confiável Wikipédia tem como capital a cidade de Barcelona. A Catalunha é reconhecida como uma nacionalidade no seu Estatuto de Autonomia, enquanto o artigo segundo da Constituição Espanhola se refere anacionalidade histórica, reconhecendo e garantindo o direito à sua autonomia. Nas placas espalhadas pela cidade vemos os dois idiomas principais da Espanha, o castelhano e o catalão.
Região da Catalunha destacada em vermelho, com sua capital Barcelona
Depois de aprender um pouco sobre a história da Espanha e da Catalunha, seguimos pelas ruas super estreitas do centro gótico de Barcelona até a Plaça de La Vila de Madrid, uma praça com prédios antigos para homenagear capital espanhola.

As ruelas góticas da Barcelona Velha
Plaça de Catalunya
Plaça de La Via de Madrid
Seguimos nosso passeio para a Plaça del Pi, com a igreja gótica Santa Maria del Pi, datada do século 14, e depois fomos conhecer o lindo e gigantesco e surpreendente "colorido mosaico de calçada do artista Joan Miró". Nem preciso dizer a felicidade da mãe de ver essa coisa horrorosa inovadora no chão da avenida La Rambla:

O SUPER mosaico...

Igreja Santa Maria del Pi
 Decepções à parte, passamos por alguns dos pontos turísticos da cidade, como o Plaça Reia, Palau Güell, o Monument a Colom, o pier da cidade, a dançarina Juliana bailando salsa cubana na praça e a região da Barceloneta, que é uma pequena "vila" pesqueira de Barcelona, famosa pelos restaurantes e sua linda praia.


Plaça Reial, de 1850.



Monumento ao Cristóvão Colombo
E quem subir no monumento do Cristóvão
será privilegiado com esta vista da cidade!
Na foto vemos a Rua La Ramba e o centro de Barcelona

Vista central da cidade.
O porto de Barcelona

Sim, o Moose ainda é o Rei das Fotos!








O dia foi uma delícia, e já estamos decidindo que casa comprar nessa cidade, porque daqui não vamos mais sair!!